sexta-feira, julho 29, 2011

But i'm gonna love you anyhow

Carne com carne, latente,
Fecha a boca, cala-te e beija-me.
Disse ele enquanto me perdia.
Uma velha estranha falava das melancias,
Como estão boas nesta altura do ano
E eu colhia só aquela chamada que não atendeste.
Deixei no atendedor as sementes que germinavam no bolso
E Elas cresceram num pedido de regresso a tempo
De ver tudo não morrer na terra.

A água escoavaa através de longos
Lençóis;
Cavernas silenciosas, estalactites e estalagmites,
É para o fundo da terra que te quero levar
E o céu será as raizes dos frutos que este verão não comeremos
Mas as raizes das árvores, como estrelas brilhantesm abrigam-nos
Da maré cheia, fria, no meu vestido branco e na tua carapaça tatuada.
Faremos amor, como só os insectos o fazem:
No final partiremos para tão longe conseguirmos ir
Porque esta é a nossa casa, e o mundo o nosso jardim;

O atendedor continua impedido,
Queria dizer apenas para vires cá ter.