sexta-feira, maio 28, 2010

Paixão



Deixei passar o prazo de validade
Para variar, vou ganhando peso longe do corpo
E há quem diga que até já me esqueci
De todos os produtos que consumi.
Sem saber que a fome é volátil
E na verdade, depois da morte
Fica-nos o travo amargo no hálito.
Se ao menos me esquecesse dos pormenores
Poderia viver tudo outra vez:
A saliva de alguém a secar-me os cantos da boca,
E principalmente:
As horas de palavras que ficaram por ceifar.
Tudo à conta do tempo disponível
Para o mundo mudar
E deitar fora os jornais de ontem.