terça-feira, setembro 09, 2008

Bicicleta

Segues uma via pequena. O chão de alcatrão dá-te a sensação de segurança, e o vento a passar-te pela face a sensação de liberdade.

Jamais foste tão livre quanto o dia em que recebeste a tua primeira bicicleta. Chamaste os teus amigos e foram até ao mais longe que puderam: o fundo do quarteirão. Tinhas apenas 8 anos, e eras um pequeno homem a percorrer uma estrada sem destino.

Pedalaste tu e os teus quatro companheiros até ao final do mundo. Sentiste os atropelos das pessoas, as mulheres que gritavam para teres cuidado. Foste a inveja de qualquer homenzinho com menos de 7 anos. As rodas dianteiras reluziam e ganhaste o respeito de amigos pela aventura que cometeste.

Nunca uma conquista te soube melhor do que tornares-te o rei do quarteirão. Nem mesmo mais tarde quando cresceste, casaste, e começaste a ter aquilo a que os adultos chamama carreira.

E é com infinita nostalgia que agarras num rapaz parecido contigo e lhe entregas esse precioso objecto. Dizes aquilo que alguém te disse algures no tempo: "Só até ao final do quarteirão!"

Dás-lhe um abraço e acabas de saber que alguém irá provar o gosto da liberdade. Sabes que aos poucos perderás uma criança e ganharás um homem. E tudo... Tudo por causa de uma bicicleta.